P Política

Partidos se articulam para eleger deputados da região do Chapadão do Parecis

Partidos se articulam para eleger deputados da região do Chapadão do Parecis

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Minuto MT


Em Campo Novo, grupos políticos buscam consenso com Sapezal, Campos de Júlio, Comodoro e Brasnorte para tentar eleger estaduais e um federal


Faltando menos de um ano para as eleições do próximo ano, onde eleitores irão às urnas escolher deputados estaduais, federais, governadores, senadores e presidente da República, várias lideranças regionais de Mato Grosso surgem como opção para ocupar uma vaga na Assembleia Legislativa.

 

Em Campo Novo do Parecis, grupos políticos buscam um consenso com lideranças de Sapezal, Campos de Júlio, Comodoro e Brasnorte para tentar eleger pelo menos dois deputados estaduais e um federal em 2022. A representativa da região, que é conhecida como o Chapadão do Parecis, motiva as lideranças se unirem para garantir espaço no parlamento, uma vez que o número de eleitores ultrapassa a 80 mil votos.

 

Entre as possibilidades, o nome que tem ganhado destaque e conquistado apoios é o da primeira-dama de Campo Novo do Parecis, Preta Casagrande. Empresária e atuante nas causas sociais, tem a seu favor o histórico de sua família, que há 30 anos atua no comércio varejista na região e o fato de defender a valorização da mulher como o combate à violência doméstica e a própria inserção das mulheres na política.

 

O apoio dos grupos políticos, inclusive chefes do executivo é outro fato que colabora para sua pré-candidatura, pois o prefeito de Sapezal, Valcir Casagrande, é irmão da primeira-dama. Esse alinhamento pode ser a base de um projeto que pode garantir uma cadeira no Parlamento Estadual.

 

Com a pré-candidatura de Preta Casagrande, os municípios da região do Parecis buscam representatividade na Assembleia Legislativa que historicamente nunca existiu, apesar do potencial eleitoral e econômico da região. Em pleno desenvolvimento, em função do crescimento do agronegócio, a região, além de não ter representante no Parlamento, não reconhece na atual legislatura nenhum nome que lute pelas melhorias dos municípios do Chapadão.

 

“Acredito que devemos deixar a vaidade de lado e nos unirmos em projetos com potencial de vitória. Muitos políticos vão usar a eleição do próximo ano como trampolim, ou seja, para se promover para a eleição municipal de 2024. Isso acaba atrapalhando a nossa região. O ideal é nos unirmos em torno de um projeto local que reúna condições de vencer o pleito”,

destacou o dirigente do partido Liberal (PL) de Sapezal, Vanderlei Bianchi. Vanderlei destacou ainda que o PL já trabalha para fortalecer a sigla nos municípios e com a filiação de Bolsonaro a sigla vai oficializar o convite para que Preta Casagrande filie e dispute a eleição pelo novo partido do presidente da República.