P Polícia

Segundo Homicídio a queima roupa em menos de 30 dias em Campo Novo Do Parecis

Avaliação do Usuário: 3 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativaEstrela inativa
 

No começo do mês passado, um crime chocou o município de Campo Novo do Parecis e região, na noite de terça-feira (11 de maio) um empresário de uma loja de materiais para construção, foi assassinado com tiros a queima roupa em frente ao seu comércio, na avenida Olacyr de Moraes. E mesmo com Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) tentando fazer o resgate, a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Os suspeitos fugiram e ainda não foram localizados. A polícia trabalha na identificação dos criminosos e busca as motivações do crime.

Segundo informações de testemunhas, a vítima foi chamada por dois homens que estavam em um carro preto, e após alguns minutos, foi surpreendida pelos atiradores tendo o tórax e crânio e o atingidos.

E no último domingo, dia 30 de maio, por volta das 20 horas e 30 minutos, aconteceu mais um homicídio parecido, dessa vez em frente à residência da vítima, na rua Curió, no bairro Jardim das Palmeiras.

Paulo Braga, 32 anos, estava sentado em frente a sua residência ao lado de sua mãe, quando dois indivíduos encapuzados passaram em um moto e após se certificarem da identidade da vítima, estacionaram em uma rua lateral, consideravelmente escura, e um deles se deslocou a pé até o encontro da vítima e, em seguida, efetuou disparos a queima roupa e fugiu. A vítima teve cabeça, mãos e tronco atingidos, e mesmo com o Samu e Corpo de Bombeiros tendo sido acionados e a vítima apresentar sinais de vida. O estado grave de seus ferimentos, não permitiram que o mesmo resistisse o que o levou a óbito no hospital.

Câmeras de vigilância conseguiram flagrar o momento, e as imagens são impressionantes. Informações preliminares, dispõe que os suspeitos que fugiram ainda não foram localizados. Todavia, segundo informações da polícia, desde domingo estão sendo realizados levantamentos em busca de testemunhas, filmagens e quaisquer informações que ajudem a identificar os autores e/ou mandantes deste fato.

“A mãe estava ao lado da vítima no momento, e por sorte não sofreu nenhum ferimento. No momento dos disparos, a mesma saiu correndo e nenhum tiro a atingiu.  Estamos aprofundando as investigações, em especial, através das testemunhas para tentar identificar as motivações deste crime que pelas características trata-se de uma execução.”, salienta o delegado Honório Neto.  

Pelas características apresentadas, o crime se enquadra em homicídio qualificado, quando é cometido de maneira premeditada ou por meio de emboscada que impeça a possibilidade de defesa da vítima. Crimes cometidos em troca de incentivo financeiro, por motivo irrelevante (por discriminação sexual, racial ou religiosa), bem como quando há requintes de crueldade, em que a vítima é torturada, asfixiada ou queimada antes de ser morta, também se enquadram nessa categoria. Se condenado, a pena varia de 12 e 30 anos de reclusão.

A polícia investiga, ainda, a relação do crime com a tentativa de homicídio ocorrida, na sexta-feira, dia 28 de maio, nas proximidades, inclusive, na mesma rua. A busca pela motivação de ambos os crimes continua, bem como a busca pela identificação, dos suspeitos, inclusive já há um suspeito para essa tentativa de homicídio.

O fato em questão aconteceu em frente a uma barbearia, onde a vítima foi surpreendida, ao sair, por um indivíduo em posse de um revolver que efetuou vários disparos contra a vítima, porém apenas um atingiu-a, no esterno, região localizada logo abaixo do peito. A vítima sobreviveu e estava hospitalizada até domingo, quando fugiu do hospital sem alta médica.

“Já iniciamos, desde sexta-feira, as oitivas e as diligencias para estar angariando mais elementos de informação para estar concluindo essa investigação.”, destaca o delegado.