M MT

Tangará da Serra: Jornalista tenta matar ex-namorada e depois atira contra a própria cabeça

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Informações da delegacia apontam que o crime foi cometido porque ele não aceitava o fim do relacionamento.

 

O jornalista José Marcondes Neto, 46 anos, popularmente conhecido como Muvuca, cometeu uma tentativa de feminicídio contra a ex-namorada, em Tangará da Serra, na tarde da última segunda-feira, 28 de junho.

Câmeras de segurança flagraram o momento em que Muvuca chega a farmácia em que a mulher, Nádia Mendes Vilela, 33 anos, trabalha, e pede para conversar com ela. O casal discute nos fundos do estabelecimento e o homem dispara quatro vezes contra a vítima. Nádia conseguiu escapar para fora da loja e na rua foi socorrida por pessoas que passavam pelo local.

Ainda assim, a vítima foi atingida. Os tiros acertaram a boca, tórax e uma das mãos da farmacêutica, ferindo profundamente. Ela foi internada no Hospital Santa Ângela, em Tangará da Serra, onde precisou passar por duas cirurgias e, segundo informações, responde bem aos medicamentos.

Após o ocorrido, Muvuca deu um tiro na própria cabeça, ainda dentro da farmácia. O mesmo foi socorrido e levado ao hospital, entretanto, mesmo sendo submetido a uma cirurgia na cabeça, veio a óbito na noite de segunda-feira, 28 de junho, por volta das 21 horas (o velório e enterro de José Marcondes aconteceram em Cuiabá, capital do estado, com a presença de familiares.) 

Informações preliminares relatam que o crime ocorreu porque o homem não aceitava o fim do relacionamento que, de acordo com a família do jornalista, o durou de dois a três anos, entre várias idas e vindas.

O Site fundado pelo jornalista, MUVUCA POPULAR, é formado majoritariamente por mulheres emitiu nota de repúdio:

“O fundador do site, José Marcondes Neto, popularmente conhecido como “Muvuca” protagonizou um ato de covardia ao cometer uma tentativa de feminicídio contra sua ex-namorada, Nádia Mendes Vilela, onde o comunicador disparou quatro tiros contra a farmacêutica e, em seguida, atirou contra si mesmo.

É com muita tristeza que esse Editorial é escrito, visto que, além de sermos mulheres jornalistas e compreendermos e vivenciarmos na pele os mais adversos tipos de violência, vemos um colega de profissão cometer um crime tão brutal.

Muvuca longe de ser perfeito, assim como qualquer ser humano, é composto de muitas falhas. Mas também é filho, irmão, tio e amigo. Marcondes sempre tratou suas funcionárias com muito respeito e fazia o que podia para fornecer um ambiente de trabalho seguro e tranquilo, fazendo dele, uma pessoa que possuí todos os “critérios” que caracterizam uma boa pessoa. Apesar de toda sua gentileza e cordialidade com aqueles que o cercavam, seu ciúmes descomunal não o impediu de tentar contra a vida de sua ex-companheira. Pois, é assim que funciona a violência contra a mulher. (...)

Nós, como mulheres, nos solidarizamos com Nádia, que está viva e lutando pela vida. Torcemos para que ela seja capaz de superar as dores físicas e emocionais deste crime. Desejamos melhoras à ela e forças para todos os familiares e amigos.”