M MT

Sapezal proíbe som ao vivo e mecânico em ambientes afim de segurar o avanço da Covid-19

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Em Sapezal, ficam proibidas, a partir de 24 de maio, segunda-feira, as reproduções de som ao vivo ou mecânico, inclusive automotivo, em bares, restaurantes, lanchonetes e congêneres, e nos espaços públicos ainda que realizada pelos usuários, conforme consta no Decreto n° 082/2021, assinado pelo então prefeito do município Valcir Casagrande.

O município que possui cerca de 25 mil habitantes, segundo o IBGE, divulgou em seu último boletim epidemiológico (de 24 de maio) 69 casos ativos, mantendo o estado de alerta moderado contra a Covid-19. Assim sendo, a prefeitura de Sapezal busca, com tal decreto, uma forma de combater as cenas de aglomeração que propiciam o avanço da covid-19.

Como tentativa de retardar a propagação do vírus da Covid-19, muitos governos estaduais, bem como municipais determinaram medidas de fechamento de serviços não essenciais, como bares e restaurantes, ainda que tais medidas tenham impacto significativo ao setor de serviços. No entanto, mesmo após revogação de tais iniciativas, com a promessa de manter estabelecimentos comerciais, principalmente aqueles que funcionam em período noturno, a realidade encontrada por muitos municípios foi a falta de comprometimento por parte da população.

Medidas distanciamento social e uso de máscaras, por vezes foi uma realidade ausente para muitos clientes em alguns estabelecimentos. Todavia, o prejuízo é pago por ambas as partes, ainda que o maior lesado seja o comerciante que tem seu estabelecimento multado e/ou, por vezes, impedido de exercer atividades.

A secretaria de Saúde de Sapezal foi procurada afim do conhecimento e divulgação de outras medidas de enfrentamento da Covid-19, mas não obtivemos resposta.