G Geral

Cobra peçonhenta é encontrada em domicílio no residencial Parecis

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Fotos: SD BM Cieslic.)

 

Na tarde do dia 12 de maio – terça-feira, o Corpo de Bombeiros Militar de Campo Novo do Parecis recebeu uma ocorrência de captura de animal no residencial Parecis, o animal em questão tratava-se de uma cascavel, uma serpente peçonhenta que havia sido encontrada dentro da residência de uma moradora.

O Corpo de Bombeiros, então, se deslocou até lá, fizeram a captura segura do animal, e soltaram-na em seu habitat natural, em uma área já um pouco mais afastada da zona urbana. “Lembrando que muitas pessoas tem pavor de serpentes, cobras, mas devemos nos ater a questão legal das coisas. Todos os animais silvestres são protegidos por lei, então eles devem ser soltos em seu habitat natural. Eu sempre costumo dizer: não são eles que estão invadindo nossa casa, é a cidade que está crescendo e nós, naturalmente, invadimos a casa deles. Então temos que conviver bem com isso. Trabalhar dentro da legalidade. Nada de matar o bichinho, o melhor a se fazer é isolar a área e chamar um bombeiro militar no 193”, salienta tenente Bueno.

 Campo Novo do Parecis tem, todos os meses inúmeras ocorrências que envolvem captura de animais, seja lobo guara, jaguatirica, tamanduá, tatu e também serpentes, peçonhentas (aquelas que ao picar tem a capacidade de inocular o veneno, ou seja, levar o veneno para dentro do organismo da vítima) ou não. “São várias ocorrências nesse sentido. E é uma ocorrência comum, importante ressaltar isso, pasmem mas é uma ocorrência comum. Na região da sucupira, por exemplo, já fomos acionados muitas e muitas vezes para capturar cascavéis, aquela é uma região que tem bastante dessas serpentes”, explica.

A jararaca, em si, é um animal peçonhento e sendo uma serpente solenóglifa, possui presas ocas e dotadas de canais, semelhantes a agulhas de injeção, isso facilita o efeito necrosante que sua picada possui, em outras palavras, ao picar, além da peçonha – veneno –, entrar no organismo da vítima, uma substancia a acompanha, destruindo assim, o tecido corporal, ‘apodrecendo as células’. Inclusive, em alguns casos de picada de jararaca onde o devido atendimento é tardio, pode-se acontecer de a vítima perder um dedo ou a parte do corpo afetada.

Ressalta-se que em casos de picada de animais como esse, o correto a se fazer é manter a calma, retirar relógios, pulseiras e anéis e quaisquer objetos que possam prender a circulação, afrouxar as roupa e entrar em contato com o SAMU ou Corpo de Bombeiros afim de realizar o tratamento correto a tempo, com soro antiofídico aplicado por um médico e também o devido curativo no local da picada por causa da ocorrência de necrose e o inchaço.

Fica o alerta, principalmente para a população rural, cuidar da manutenção do quintal da casa é muito importante para se fazer a prevenção tanto de aracnídeos, aranhas e escorpiões, quanto dos animais peçonhentos, serpentes. Assim sendo, é de suma importância a limpeza do quintal e da residência, limpeza interna e externa. O cuidado com o lixo, colocando-o devidamente dentro de sacos para serem levados pela coleta indispensável para a prevenção de acidentes com esses animais.

WhatsApp_Image_2021-05-13_at_12.55.32_1.jpeg

(A serpente foi retirada do local pelo Corpo de Bombeiros.)

 

WhatsApp_Image_2021-05-13_at_12.55.32.jpeg

(Devidamente capturado, o animal foi solto em seu habitat natural.)

 

WhatsApp_Image_2021-05-13_at_12.55.31_1.jpeg